Você está aqui: Página Inicial
Sexta-feira, 6 de Dezembro de 2019
 
Últimas Notícias
08/08/2019
Fonte: Folha de Pernambuco
Ministro diz que busca acordo para indenizar concessionárias e garantir relicitação de rodovias
O decreto atende às concessionárias que participaram de leilões no governo Dilma Rousseff
O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou que o governo buscará negociar indenizações com as empresas interessadas na devolução amigável de concessões para que a questão possa ser resolvida sem necessidade de judicialização
 
Nesta quarta-feira (7), o governo federal publicou decreto para regulamentar a lei de 2017 que permite a devolução de concessões e a relicitação desses ativos. O decreto, no entanto, não resolveu todos os questionamentos das empresas, em especial, a questão das indenizações a serem pagas por investimentos já realizados pelas concessionárias e que ainda não foram amortizados.
 
"Saiu o decreto. O que vamos tentar fazer agora é estabelecer termos aditivos com as concessionárias, para manter esses ativos operando. Temos de fechar também a metodologia para indenizar os investimentos não amortizados, chegar a acordos, assinar o aditivo e aí fazer a relicitação", afirmou o ministro da Infraestrutura nesta quinta-feira (8), durante evento do banco BTGPactual.
 
O decreto atende às concessionárias que participaram de leilões no governo Dilma Rousseff e que enfrentaram posteriormente uma "tempestade perfeita", com o país em recessão, mudanças na política de crédito do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e os problemas enfrentados pelos vencedores do leilão na Operação Lava Jato.
 
A questão da metodologia de indenização, ainda não totalmente definida, foi um dos fatores que atrasou a publicação do decreto e que preocupa, principalmente, as concessionárias de rodovias.
 
Durante o evento, o ministro também foi questionado sobre os efeitos das medidas recentes no setor aéreo no preço das passagens. Segundo Tarcísio, os preços vão cair quando houver competição. Ele disse que o governo federal também tem pedido a governadores a redução no ICMS sobre combustível de aviação e que há expectativa de ampliação da malha aérea com a compra de novos aviões por empresas como Gol e Azul. "Tudo leva a crer que vamos assistir à redução no preço das passagens até o final do ano", afirmou.
 

© 2000 - 2019 - Licite Assessoria. - Todos os direitos reservados
Central de Atendimento: (81) 3468.2486 / 3071-1766 - Das 08:00 às 17:00hs (Horário Comercial)